Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Manga Lima

Manga Lima

18
Fev19

Deste fim-de-semana

Manga

Há fins-de-semana duros e dolorosos. Tenho-os desde há muito, desde há mais de um ano e meio, graças a um (des)amor que me virou do avesso e não só. Mas depois há um fim-de-semana em que bato de frente nesse desamor porque a vida assim me obrigou (e obriga) e sobrevivo. Mas depois há um fim-de-semana em que entro por aquele apartamento e pego naquilo que é para retirar porque ele vai ser vendido. E nada disto é feliz, pelo contrário, tudo isto é até bastante doloroso (não se deseja a ninguém ver, sozinho, a pessoa de quem gosta a seguir com outro amor). Nada disto é feliz mas acaba por ser libertador. E a verdade é que, no meio de todo o caos e da família repartida e do coração desfeito, eu até vou sobrevivendo. Não consigo sorrir com os olhos, não consigo estar sequer perto de me sentir tranquila e feliz, não consigo ter os sonhos que um dia tive, não consigo acreditar em coisas boas, não tenho momentos de partilha felizes, nada disso. Mas tenho sobrevivido. Com lágrimas, com muita terapia, com a fé possível, com uma perserverança do tamanho do mundo e uma resiliência ainda maior. Com a crença enorme de que os meus hão-de voltar em breve e de que 2019 trará mudanças boas, profundas e felizes. Sobrevivi. Estou a sobreviver. E um qualquer dia acordo e já estarei a viver e não apenas a sobreviver.

15
Fev19

Aos 45 dias de 2019

Manga

2019 começou logo a rasgar. Têm sido um rasganço de uma ponta à outra.

Em 45 dias eles disseram-me que não voltam no verão e rasgaram-me o sonho que me alimenta a alma e a vida há mais de seis anos, e ele disse-me que não sente o mesmo que eu rasgando-me o outro sonho que me alimentava a alma e a vida. Em 45 dias aconteceu tudo o que não tinha acontecido nestes últimos intermináveis anos. Às vezes é preciso tocar de uma vez por todas nas feridas e limpá-las para deixar que curem finalmente. E eu estou estranhamente calma. Calma, impávida e serena. Às vezes precisamos de esperar 10 anos em que nada acontece para chegar aquele ano que muda tudo. 2019 não se fez esperar. Ainda bem. Estou calma, muito calma. Os meus hão-de voltar, mais rápido e mais repentinamente do que eles esperam, assim o desejo e quero. E quanto a ele, ganhei a paz que há muito tinha perdido e, com essa paz, estou a abrir caminho e a tornar possível encontrar um amor doce e verdadeiro. 

O rasganço veio em força e veio todo de uma vez. Agora se der para acalmar e poder, finalmente, esperar pelo melhor.. eu agradeço. Ainda faltam 10 meses e meio. Estou cá (precisamente) para isso.

10
Fev19

Dias de luta, dias de coragem

Manga

Foi há dias, poucos dias mas que parecem muitos. Pela minha cabeça passaram filmes atrás de filmes. (Re)vi e (re)vivi tudo o que ouvi, o que senti, o que me fizeram. O que pensei, o que sonhei, o que achei. Precisei de voltar atrás no tempo e resignificar tudo. Voltar atrás no tempo e colar em tudo uma etiqueta a dizer "Ele está a brincar". Não foi fácil, não é fácil, não vai ser fácil. Hoje muito menos. Quando recebi aquelas três provocações em forma de fotografia, aquela mudança de planos repentina, em jeito de chamada de atenção, fiquei estupefacta. Foi gritante aquela necessidade de me chapar na cara o que já ouvi. Não é preciso estudar psicologia para perceber certas coisas. Eu passei-lhe a batata quente para as mãos, e o peso que já não suportava, e desresponsabilizei-me de tudo o que possa um dia acontecer naquele momento em que ele abriu a porta para sair. Doeu, dói, é quase certo que vai doer. Mas nunca duvidei por um segundo que precisava de me libertar daquele peso e que a paz não tem preço. E não, pode haver dor mas a paz não tem preço. Não suportava ser eu a dizer, daqui a uns anos, que nunca o devia ter deixado ficar de todas as vezes em que fui embora como no filme "O noivo da minha melhor amiga". Aquela cena em que a Rachel diz "Eu nunca devia ter saído por aquela porta do bar há seis anos" martelou-me. Não suportava ser eu a entrar num bar daqui a uns anos, já casada com outro amor e sendo mãe, e ter um flash com a vida que teria ao lado dele se tivéssemos ficado juntos, como em "La la land". E bem ou mal, cedo ou tarde, melhor ou pior, com mais ou menos dor, a verdade é que todo este peso e todo este sufoco de nos afogarmos nas palavras que deixamos por dizer desapareceu. Eu libertei-me e desresponsabilizei-me. Se lhe passei esse peso para ele? Não sei mesmo, não sei e também não sei se quero saber. Se ele disse o que sentia, ou se disse tudo o que sentia? Não sei. Sei que me deito todos os dias com a consciência tranquila, e que não vou um dia deitar-me naquele sofá grávida de um filho nosso porque ele não quis. No momento em que ele disse o que tinha a dizer e saiu pela porta ficou-me tudo esclarecido. Não precisava de levar com aquelas chamadas de atenção gritantes de hoje, e não tenho explicações para elas, mas a partir daquele momento deixou de estar nas minhas mãos. Já não tenho de fazer nem posso fazer o que quer que seja. Agora as cenas de filme que me entalaram a garganta e o coração e o corpo todo deixaram de ser minhas. Libertei. Se libertei para ele, ou se ele sufocará em tudo o que não disse, ou se um dia será ele a fazer o flash da vida que poderíamos ter... já não é problema meu. Que ele merecia, é um facto. Que não vou ser mais nem menos feliz por isso é outro facto. Só quero a minha paz. Se der para ele crescer e não se comportar como uma criança tanto melhor. Como dizia a frase que vi o outro dia "Doubt kills more dreams than failure ever will.". E eu disto já não sufoco...graças a mim, a Deus e a quem me deu a força de falar. 

08
Fev19

Sobre sábado

Manga

Não sabia quando o ia fazer. Não sabia como. Não me imaginava. Entre quarta e sábado tudo se precipitou e, perante o aviso que me fizeram, tornou-se urgente e desesperante falar. Já há muito tinha ultrapassado todos os limites. E então, depois de me terem feito disparar todos os gatilhos do cérebro, larguei a bomba. Já o devia ter feito há mais tempo? Já! Já o devia ter feito há muito mais tempo. A paz não tem preço e nem quero imaginar tudo o que deixei de viver e sentir pelo caminho. Foi quando teve que ser. Foi quando tinha percorrido o caminho que precisava de percorrer para chegar até aqui. Daqui a um ano? Daqui a um ano vou sorrir e agradecer a mim própria a paz que ganhei. Aconteça o que acontecer. Daqui a um ano vou agradecer :) 

Resultado de imagem para daqui a um ano

04
Fev19

Como se esquece alguém que se ama

Manga

Não sei. Não sei, nunca soube, como se esquece alguém que se ama. Falo contigo, dizes-me que não há sentimentos da tua parte, passam dois dias, continuo anestesiada e perdida da vida (e sobretudo do coração) e ao fim deste segundo dia dou de frente contigo enquanto conduzimos em sentidos contrários. Não estava preparada, nunca se está. Como se esquece alguém que se ama? Não sei mas dar contigo na estrada não ajuda nada. Caramba, que só me apetece fugir para as nuvens e esquecer a dor. Só me apetece voar e voar e não viver com esta dor de saber que tudo o que tenho é um coração mais que desfeito. Só me apetece fugir e fingir que não tenho pela frente semanas, meses, anos de uma dor de coração profunda que nada curará. Só me apetece viver noutra dimensão onde não terei de fazer o caminho mais duro da minha vida: continuar a saber de ti sabendo que não és nem nunca serás meu. Não sei como, não sei quando, não sei onde, não sei nada nem sei como te iriei um dia apagar do coração... só sei que será a maior tarefa da minha vida encontrar um dia alguém que me faça sonhar como tu, pelos vistos sem o quereres, conseguiste. Parem o mundo que eu quero sair. Quero mesmo (e não viver durante os próximos longos tempos, sabe Deus quanto tempo, esta dor de alma e de coração). Parem o mundo que eu quero sair. Perdão, eu quero sair e esquecer. 

03
Fev19

Coragem e (Des)amor

Manga

Ontem fiz aquilo que nunca na vida imaginei algum dia fazer. Ontem, repentinamente, liguei-lhe enquanto íamos na estrada, mandei-o parar no sítio onde ele quis parar, disse-lhe para entrar no carro e falei-lhe de como não devemos deixar nada por fazer nem nada por dizer. Disse-lhe que já sentia mais que uma simples amizade e tudo o resto.  Vi surpresa nele, muita surpresa (até eu estava surpreendida comigo própria) e ele lá me deixou claro que não sente o mesmo. Ontem tirei de cima de mim um dos maiores pesos e dores da minha vida. E graças a Deus daqui a 10 ou 20 anos não vou ter de começar nenhuma frase nem nenhum pensamento por "E se..", não vou ter de pensar que foi por mim que não vivemos o amor que nos estava designado, não vou ter de dizer a mim própria que nunca devia ter saído pela porta de todas as vezes em que o deixei a ser feliz noutras paragens. Ontem ficou-me claro que a partir daquele momento é uma escolha dele e só dele ir embora, é uma escolha dele e só dele não me ter no coração e é uma escolha dele e só dele deixar-me livre e não ser meu. Fui ao limite do impossível ao longo deste tempo, aguentei o que nunca conseguirei descrever e não desejo ao pior inimigo e perdi vida, alma e coração. Ontem cansei-me e passei a bola para o lado dele. Eu estou cá para ser feliz. Ele? Quanto mais longe (bem, bem longe!) melhor. É uma escolha dele. Ficamos por aqui. Por mais que me doa a alma ficamos por aqui. E mais vale ficar por aqui aos 24 anos do que voltar a ter o coração em pedaços de dúvidas daqui a muitos anos. Ontem perdi o medo e, assim, quando ele for mesmo embora posso desejar intimamente que vá e não volte.

01
Fev19

Resumo de Janeiro

Manga

Janeiro já foi e, não parecendo, foi um mês que me mexeu com a vida.

- Os meus pais disseram que não voltam no Verão e o mundo e a vida desabaram-me ali naquele momento. Chorei desalmadamente, fiquei completamente anestesiada e demorei mais de uma semana a conseguir organizar o cérebro e "voltar à vida" depois disso.

- Recebi uma chamada a dizer que havia um interessado no apartamento, corri três andares e uma rua, falei, perguntei, assinei um contrato promessa e à partida vai mesmo ser vendido. Fui ao céu e voltei, sorri infinitamente, rezei em silêncio e ganhei vida e alma com aquela notícia.

- Ele brincou comigo insinuando-se, como sempre, e foi também este o mês em que disse que quer ir viver para lá, longe daqui, e por mais que o meu coração gritasse o contrário levantei a voz e disse "Então vai para lá morar" num acesso de coragem. Não sei o que pensar, o que dizer ou o que fazer quanto a ele...mas se é para ele me aparecer à frente não sendo meu então quero mesmo que vá para bem longe.

- A viagem que fui convidada a fazer, e que é uma oportunidade única, calha em dias em que provavelmente o meu pai vai estar cá. Não sei o que fazer... sei que se ele estiver cá me recuso a apanhar um avião, seja lá qual for a oportunidade. Por mais que queira ir, não sei se vou.

Janeiro foi isto, foi muito isto. Muito longe da perfeição, muito mesmo, mas com uma ponta de mudança ou promessa de mudança. Que 2019 continue as promessas de mudança e mudanças, é só isso que quero <3 

31
Jan19

Vai, mas vai e não voltes

Manga

Já quis muito (tanto mas tanto!) que ficasses aqui, vivesses aqui e trabalhasses aqui! Já quis isso porque queria (raios, ainda quero) tanto estar contigo e gostar de ti e saber que gostas de mim. Já quis que ficasses e achei que não ias ficar, já quis que ficasses e acabaste mesmo por ficar e (ainda) quero que fiques mas já não quero que fiques. Não dá para entender mas eu explico: quis e quero tanto que fiques porque gosto demasiado de ti e te quero aqui. Mas já acreditei tanto, já desacreditei tanto, já voltei a acreditar tanto, já me cansei tanto, já me desgastei tanto, já fiz um esforço do tamanho do mundo para te tentar mostrar que gosto de ti, já quis tanto que gostasses de mim, já quis tanto que fosses meu, já quis tanto ser tua... que nada de nada aconteceu e estou exausta. Já te quis tanto e já me destrui tanto a ver-te ser de outra pessoa que já me cansei. Já quis tudo, já esperei tudo e a única coisa que aconteceu foi que tu continuaste e continuas na mesma, na tua vidinha. Já quis, mais do que tudo, que ficasses, embora nunca te tenha conseguido dizer diretamente isso. O problema começou mesmo aí, quando o meu coração (que não bate bem da cabeça) começou a querer que ficasses no momento em que íamos embora. E quis tanto que ficasses que tu nunca ficaste e eu estou cansada. Por isso, nunca te disse para ficares mas ontem disse-te para ir. Ontem tive um acesso de coragem repentino e mandei-te ir viver para longe com a tua relação. Já não conseguia suportar mais ouvir-te falar da tua relação e ver-te mais uma vez ir embora por causa disso e mandei-te ir. Só não cheguei a dizer para não voltares e não o poderia fazer porque estava lá muita gente, disse-te só para ir viver para lá. Por isso, e ainda que o meu coração grite o contrário, vai e não voltes. Vai, mas vai mesmo (e quanto mais longe melhor) e não voltes. Eu tenho coração, e sobretudo cérebro, para resistir a tudo na vida mas não para te ver à minha frente a ser feliz com outra relação quando tudo em mim quer tudo em ti e eu sei que há muito de ti que quer muito de mim. Quis que ficasses, mas se ficares significa ver-te à minha frente quando pertences a outra pessoa e não a mim então vai. Vai e não voltes. Disse-o num tom entre o irónico e o agressivo mas houve ali verdade. E tu só não percebes que aquele "vai morar para lá" teve escondido um "fica aqui e fica comigo" se fores muito burro, que não és (ante fosses!).

29
Jan19

A astrologia explica (?!)

Manga

Eu confesso. Sou a prova viva da verdade disto. E que verdade... que verdade! Não vivesse eu isto na pele e tivesse o coração neste estado initerrupto de montanha russa... (A astrologia vale o que vale... mas caramba!, caramba que nem eu queria que batesse tudo tão certo)

A imagem pode conter: texto

 

28
Jan19

Prometo

Manga

Hoje assinei o contrato promessa. Promessa. Que palavra tão bonita e tão carregada de esperança. Promessa e eu prometo. Prometo vender mas prometo, sobretudo, ser faliz com todas as mudanças felizes que se hão-de avizinhar. Prometo e prometo mais, muito mais, que simplesmente vender aquele apartamento. Prometo estar cá para o que der e vier, prometo estar cá para viver o regresso final deles (que, desconfio, começou hoje a ser algo sério) e prometo estar cá para entregar o meu coração à pessoa que lhe quiser bem. Hoje prometi.. e espero que 2019 me faça prometer muito mas muito mais. 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D