Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Manga Lima

Manga Lima

28
Jan19

Prometo

Manga Meia-Loira

Hoje assinei o contrato promessa. Promessa. Que palavra tão bonita e tão carregada de esperança. Promessa e eu prometo. Prometo vender mas prometo, sobretudo, ser faliz com todas as mudanças felizes que se hão-de avizinhar. Prometo e prometo mais, muito mais, que simplesmente vender aquele apartamento. Prometo estar cá para o que der e vier, prometo estar cá para viver o regresso final deles (que, desconfio, começou hoje a ser algo sério) e prometo estar cá para entregar o meu coração à pessoa que lhe quiser bem. Hoje prometi.. e espero que 2019 me faça prometer muito mas muito mais. 

27
Jan19

Mudanças

Manga Meia-Loira

Janeiro veio e, para lá de tudo o que chorei e de os ter ouvido dizer que não voltam no verão, trouxe inesperadamente a promessa de mudanças felizes. Trouxe uma consulta vinda do céu (o que quer que isso signifique) e um telefonema inesperado que originou vários e trouxe a promessa de um contrato (de venda mas sobretudo de mudança). Todo este 2019 é, para mim, uma gigante promessa de mudanças felizes. Um embrulho novo em folha com a promessa de mudanças felizes na família e no amor. Uma promessa de paz e amor. Uma promessa do esperado regresso deles e uma promessa de um amor que quero viver. Pode não acontecer nada, mas a promessa está cá toda. A promessa que me faz respirar e voar bem alto. E essa promessa ninguém me pode tirar. Estou cá para viver a mudança.. e prometo com tudo o que tenho que aguento. Pode abanar tudo que eu aguento. Estou cá (só) para isso. Vambora e vamos com tudo!

Resultado de imagem para may the next few months be a period of magnificent transformation

 

 

23
Jan19

Hoje? Hoje fui feliz

Manga Meia-Loira

Hoje, ou pelo menos por hoje, fui feliz. Fui feliz e sorri com uma plenitude que já não sabia existir em mim e que tem sido destruída pelo tempo e pela vida. Fui feliz e sorri com a alma como já não sabia ser possível sorrir. Não, nada me foi dado, nada me foi garantido, nada aconteceu sequer.

Hoje tive uma consulta e ouvi tudo (ou quase, vá) o que de melhor podia ter ouvido e muito mais do que aquilo que imaginava. Foi tudo o que eu mais precisava e queria ter ouvido. Foi (quase) tudo o que eu poderia ter sonhado. 

Hoje recebi um telefonema da imobiliária que me fez respirar com o peito inteiro e corri 3 andares e uma rua numa cidade desconhecida para poder dar a resposta que queria. 

Não, nada me foi garantido. Não, nada me foi oferecido nem nada aconteceu. Não, (ainda) nada do que eu mais quero foi vendido pela imobiliária.

Mas hoje, ou pelo menos por hoje, fui feliz. Hoje, ou pelo menos por hoje, sorri e sonhei. Sonhei com a alma inteira e isso já é meu. E ainda que nada aconteça, sonhei... sonhei e valeu a pena. Sonhei e afinal é isso que nos faz respirar e move o mundo. 

22
Jan19

Sonhos e cambalhotas

Manga Meia-Loira

A minha vida anda tão desregulada e o meu cérebro e o meu coração andam tanto às cambalhotas que acabo a sonhar que a pessoa de quem gosto está a ter um filho com outra pessoa, e aquilo é tão real mas tão real que vi tudo à frente. Eu vi e vivi aquilo, ele a ter uma filha, acho que até sabia o nome e tudo...e eu lá andava, impávida e serena da vida. Mas andava mesmo. E depois acordo, e percebo que não é real. E o mais parvo? Logo a seguir adormeço e sonho que estou em frente à casa dos pais dele para lhe dar ou ir buscar qualquer coisa e ele está lá e é solteiro. Oh vida!

21
Jan19

Resoluções de ano novo e pôr-do-sol surpresa

Manga Meia-Loira

Escrevi algures nas resoluções de ano novo que queria fotografar o pôr-do-sol. Na altura a ideia era fazê-lo na praia, com calma e a saborear devidamente... e espero mesmo ainda fazê-lo, mas hoje, por entre a corrida do dia-a-dia e o tempo contado ao segundo entre trabalho e aulas e viagens, não consegui deixar de o fotografar. Estava lá aquele clarão lindo (lindo mesmo) e sem tempo para nada saquei do telemóvel, fiz o clique e voltei à vidinha. E depois, na viagem de volta, lembrei-me do quão bom é não nos deixarmos afundar completamente no trabalho e nas obrigações que temos e conseguir ter a capacidade de olhar um pôr-do-sol e admirá-lo (ainda que com o tempo contado ao segundo).

18
Jan19

17 de Janeiro de 2012 - 7 anos depois

Manga Meia-Loira

Há sete anos a Ju tinha dezassete anos, o mundo aos pés e uma vida cheia de sonhos. Foi esta Ju que se despediu da avó naquele dia de Janeiro, uma Ju triste mas com a família junta, unida e de mãos dadas. Naquele ano marcado a ferros tudo mudou e a Ju começou a mudar também (profundamente). A minha avó morreu, o avô morreu depois e os meu pais foram embora viver para o outro lado do oceano em Outubro. Já fiquei sem chão e vi o mundo desabar, já me reencontrei e refiz (e consegui colar alguns dos estilhaços da vida) na universidade e já fiquei novamente sem chão e a ver o mundo desabar. Tem sido um longo, muito longo caminho. Tenho em mim que, sem eu saber nem poder imaginar, tudo começou naquele dia. A vida como eu a tinha e conhecia começou a acabar ali e seis meses depois tinha os meus pais a dizerem que iam embora.

Sete anos depois, o que mudou? Mudou tudo. Chorei desalmadente a ausência e o vazio que os meus pais me deixaram, fiz anos de psicoterapia e continuo e acho que é para continuar, fiz a licenciatura em Direito e fui imensamente e infinitamente feliz durante esse caminho, fiz a pós-graduação que há-de virar mestrado e fui profundamente infeliz em todos os dias desse ano, fiz um projeto de tese, fui parte da direção de uma associação de estudantes e trabalhei muito e diverti-me ainda mais, criei um grupo de amigos para lá de espetacular na universidade, continuei a ter o grupo de amigos que já tinha, fui-me apaixonando profundamente por um amigo e tem sido uma constante dor de coração e de alma que não sei explicar, inscrevi-me na Ordem, comecei a estagiar e chegamos ao dia de hoje. 

Se me tivessem há sete anos pedido para imaginar a vida hoje, diria que tudo seria diferente: os meus pais nunca teriam ido embora, eu teria um namorado que me fizesse feliz e o resto poderia bem ter sido como foi. Sete anos depois... a verdade é que eles foram e a verdade é que tenho uma paixão que me desfaz o coração todos os dias. É tudo o que nunca poderia ter acontecido comigo mas aconteceu. Voltei nos últimos tempos a sentir (muito) que não sei o que fazer ou para onde ir. Voltei a sentir-me sem chão como naquela manhã de Julho em que eles me disseram que iam embora. Há uma coisa boa no meio de tudo isto: tenho desejado profundamente todos os dias ter um amor que me faça feliz e ser mãe. Aprendi que a família é o centro da nossa vida e por isso quero tanto encontrar um colo que seja casa para mim e que me permita sonhar com uma família e fazer planos a dois. Não sei o que vem por aí. Sei que gostava e precisava, mais do que tudo, que daqui a um ano tudo fosse completamente diferente. Um beijo, estrelinha!

16
Jan19

Tudo bem, tudo mais que bem (só que não)

Manga Meia-Loira

O ano começou há quinze dias. Nestes 15 dias já estive doente como tudo, ele já me entrou pela porta adentro para demonstrar (mais uma vez) que posso continuar alegremente de coração (mais que) desfeito e os meus queridos pais já me anunciaram que não, decididamente não voltam para cá no Verão. Por aqui tudo bem. Tudo ótimo. Avizinham-se tempos lindos... tão lindos que posso contar em continuar (alegremente) sem os meus pais, de coração estilhaçado por todos os lados e a tentar respirar no meio de tudo isto enquanto seguro o mundo às costas. Lindo. 2019 está lindo. Por aqui tudo bem, obrigadinha.

10
Jan19

Sobre amamentação (não preparem já o chicote!!!)

Manga Meia-Loira

Ainda estou muito longe de ser mãe e não sei se chegarei a sê-lo, como ninguém sabe, mas hoje numa conversa sobre amamentação escrevi isto. Com ironia mas com um fundo de verdade (muitaaa verdade). Porque nas minha mamas mando eu e absolutamente mais ninguém. (E no pipi também, já agora). Coitadinha(s) da(s) criancinha(s) que me calhe(m) como filha(s)! Que má mãe que eu posso vir a ser. Cesariana por opção? Que escândalo! Leite adaptado por opção? Que escândalo! E então escrevi assim. 

" Há uma coisa chamada leite adaptado. Não põe pressões na mãe, não implica que a mãe sofra infeções na mama, não obriga a mãe a acordar de 2 em 2 ou 3 em 3 horas, não implica que seja sempre e só a desgraçada da mãe a alimentar a criança. É isto. Tudo a favor da amamentação e a OMS recomenda vivamente e é muito lindo e tudo e tudo... mas eu sou muito adepta do belo do leite adaptado."

 

 

10
Jan19

"Não te apaixones por uma mulher que..."

Manga Meia-Loira

Tirado daqui : https://rachelina.blogs.sapo.pt/nao-te-apaixones-por-uma-mulher-que-le-74368

 

"Não te apaixones por uma mulher que lê, por uma mulher que tem sentimentos, por uma mulher que escreve...
Não te apaixones por uma mulher culta, maga, delirante, louca. Não te apaixones por uma mulher que pensa, que sabe o que sabe e também sabe voar, uma mulher que confia em si mesma.
Não te apaixones por uma mulher que ri ou chora, que sabe transformar a carne em espírito; e muito menos te apaixones por uma mulher que ama poesia (estas são as mais perigosas), ou que fica meia hora contemplando uma pintura e não é capaz de viver sem música .
Não te apaixones por uma mulher que está interessada em política, que é rebelde e sente um enorme horror pelas injustiças. Não te apaixones por uma mulher que não gosta de assistir televisão. Nem de uma mulher que é bonita, mas, que não se importa com as características de seu rosto e de seu corpo.
Não te apaixones por uma mulher intensa, brincalhona, lúcida e irreverente. Não queiras te apaixonar por uma mulher assim. Porque quando te apaixonares por uma mulher como esta, se ela vai ficar contigo ou não, se ela te ama ou não, de uma mulher assim, jamais conseguirás ficar livre..."

 

Martha Rivera-Garrido

 
06
Jan19

Belo início de ano. Belíssimo.

Manga Meia-Loira

Abri o a ano quase sem voz por causa de uma noite de passagem de ano a trabalhar em que me fartei de apanhar frio. Quase sem voz, e depois na noite seguinte acordei às 5h da manhã com dores de garganta. E ataquei com ben-u-ron e brufen e na noite seguinte voltei a acordar com dores de ouvidos (tão bom). Agora que isso estava a passar e já só estava ranhosa e quase a recuperar, acordei com uma contratura muscular daquelas que não nos deixa mexer. Sim, hoje acordei e quase não mexia. Já vou em 3 anti-inflamatórios, cada um mais forte que outro. Amanhã volto ao escritório e andarei numa correria porque ao fim da tarde começo as aulas da Ordem. Amanhã o ano, ou o ano de trabalho, começa a sério. Ah-ah-ah. Estou pronta. Really. Este 2019 ainda agora começou e já promete. 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D