Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Manga Lima

Manga Lima

30
Mai19

A meia loira escreve a tese #6 - Oh tese, quando chegas ao fim?

Manga Meia-Loira

Eu tento trabalhar... tento mas depois o orientador não me responde. Eu tento trabalhar... tento mas não sei se o que estou a escrever é útil ou se depois ele me vai mandar cortar. Eu tento trabalhar.. mas já lhe mandei o que fiz há umas semanas e ele ainda não corrigiu. Eu tento trabalhar... mas depois há sempre tanta coisa mais gira para se fazer e para se ler e para se ver. Eu tento trabalhar... mas depois o meu pai está cá e tenho de aproveitar o tempo todo ao máximo. Eu tento trabalhar... mas não está fácil. Enfim, é fazer o que sempre fiz: trabalhar até chegar ao fim e resistir sempre. Vamos lá ver. O quanto eu queria entregar isto no prazo normal, em outubro! O quanto eu queria! 

29
Mai19

"Onde Deus te levar"

Manga Meia-Loira
Cada vez me faz mais sentido ouvir esta música. Cada vez me faz mais sentido ouvir estas músicas de Igreja que são sublimes. Tenho ouvido esta música repetidamente e só consigo sentir coisas boas e bonitas.. e muita esperança. Conheci esta música na minha missa de finalistas naquele (abençoado) dia 13 de maio de 2017 e acho que ela ficou colada a mim desde aí e cada vez mais. Ultimamente tenho-a ouvido e tenho projetado muito, enquanto a ouço, o dia em que vou entregar a minha tese. Tenho-a ouvido muito e tenho projeto, de uma forma tão especial e tão bonita, o momento em que me estou a casar e esta música toca na Igreja. É incrível, mas consegui e consigo mesmo imaginar-me a casar e esta música a tocar na Igreja... eu que nunca projetei nada disso, nunca imaginei nada disso, sempre achei que deve ser uma tarefa dificílima escolher as músicas (e as leituras) de uma cerimónia de casamento... e de repente esta música colou-se tanto a mim e faz-me tanto sentido que terá de fazer parte da cerimónia religiosa do meu casamento (isto a contar que um dia eu irei casar ehehe). E eu, que não tenho nem nunca tive ou quis ter uma leitura ou música que tivesse de fazer parte do meu casamento, de repente percebi que esta terá de estar lá. 
 
"Podes achar que não tens

P'ra onde ir, nem que fazer
Não sabes bem quem és aqui
Neste mundo, tão grande e frio
Mas há qualquer coisa em ti
Que te faz querer
Querer ser alguém
Querer ser alguém

 

E a vida não vai parar
Vai como o vento
Tens tudo a dar
Não percas tempo
Podes saber
Que vais chegar
Onde deus te levar

 

Mas pode ser tão difícil
De acreditar, em deus assim
Será que deus se vai lembrar
De me ajudar
Será que sim
Mas há qualquer coisa em mim
Que me faz querer
Acreditar" 

Música "Onde Deus te levar"

 

 
23
Mai19

Sobre (re)acreditar no amor

Manga Meia-Loira

Hoje li um post que falava sobre a liberdade de nos desapegarmos de um (des)amor que não aconteceu, que aconteceu e não correu bem, ou que aconteceu e correu bem mas deixou de fazer sentido.  Um post que falava da imensa liberdade e paz que isso significa. Um post que dizia que sim, nem sempre o primeiro amor é o único ou último que vivemos e isso faz parte da vida. Li aquilo e só consegui pensar que aquilo sou eu, aquilo é o que estou a viver, aquilo é um espelho de mim. O libertar de algo que tem de ficar arrumado no seu lugar. O (re)acreditar no amor. O querer muito que alguém venha por bem. O saber e sentir que quando uma flor morre outra há-de nascer. O pensar que sim, um dia há semente e nasce algo novo e bonito. O sentir que sim, podem-nos arrancar uma flor do coração mas não podem impedir que uma nova flor nasça. O querer muito acreditar que não somos, ou os homens não são, todos iguais. O querer ainda mais acreditar que há-de surgir alguém que seja luz e amor. O sentir que há-de chegar alguém que vai ser, afinal e a final, amor real, vivido, sentido e partilhado. Há um tempo para chorar - há mesmo e não é pouco, muito pelo contrário - mas também tem de haver um tempo para respirar e continuar. Não será por se viver um desamor que o amor não pode surgir. O amor existe e é para ser vivido, e eu hei-de encontrá-lo. E depois dos caminhos sombrios por onde o meu coração me fez e tem feito andar... vai ser ainda mais bonito e especial, infinitamente mais bonito e luminoso. Vai ser luz, sol e brilho. Vai ser alma, vida, sonho e tudo o resto. Porque a vida até nos pode arrancar todas as flores.. mas não pode nunca impedir a primavera de reaparecer... e ela há-de reaparecer sempre porque essa é a lei da vida.

19
Mai19

Amanhã

Manga Meia-Loira

Amanhã de manhã vou entrar pelas chegadas do aeroporto e abraçar de alma e coração o meu pai. Amanhã vou sorrir e agradecer à vida por me permitir viver esse momento. Amanhã vou ser filha, vou (re)viver este amor incondicional, e vou renascer uma vez mais naquele abraço que já era meu antes sequer de eu ter existido. Amanhã damos mais um passo e escrevemos mais um capítulo na história que os vai trazer de volta. Amanhã reforçamos este sonho do regresso deles e ficamos um passo mais perto dele. Devagar, devagarinho, havemos de lá chegar. Amanhã vou ser a filha que tem o colo do pai e vou ser imensamente feliz e grata por isso. Amanhã vivemos o regresso que falta antes do regresso final e eu só posso estar esperançosa e grata por isso. Amanhã ficamos mais perto do sonho e eu só quero acreditar que depois do amanhã vem o regresso final deles. Amanhã serei filha e nada mais no mundo importa.

17
Mai19

Para nos lembrarmos sempre

Manga Meia-Loira

Ontem bati de frente nisto. Ontem li isto e tive a certeza de que nos temos de lembrar de não nos esquecer disto nunca. Não nos podemos esquecer nunca disto e não podemos nunca deixar que alguém nos faça esquecer disto.

E eu? Eu ainda tenho de acabar o mestrado e ser a mestre. Eu ainda tenho de acabar o estágio e deixar de ser "a estagiária " de serviço. Eu ainda tenho de voltar a ser a filha. Eu ainda tenho de voltar a ser a irmã. Eu ainda tenho de (vi)ver o regresso final dos meus. Eu ainda tenho de sorrir muito com os meus. Eu ainda tenho de ganhar dinheiro a sério com aquilo que gosto de fazer. Eu ainda tenho de ser a namorada. Eu ainda tenho de saber o que é viver um amor daqueles a sério. Eu ainda tenho de ser a noiva. Eu ainda tenho de ser a mulher do homem que eu escolher e que me escolher. Eu ainda tenho de ser a grávida. Eu ainda tenho de ser a mãe do João David ou da Júlia. Eu ainda tenho de ver e viver todos estes sonhos e todos os (tantos) outros que estão ligados a estes. Por isso sim, o que está por vir é infinito e há-de ser infinitamente bonito.

 

A imagem pode conter: texto

16
Mai19

Velhice e um nó no coração

Manga Meia-Loira

Hoje apanhei, no programa da manhã da Cristina Ferreira, a história de um senhor que ganhou um prémio e teria de o usar para pagar o funeral da mulher e as contas em débito na farmácia. Eu não vi em direto, vi quando passei a gravação durante a hora de almoço, e a minha tia contou-me logo como era a história... nem consegui continuar a ouvir e a ver aquilo. Deu-se-me um nó na garganta, no peito e no coração que mudei logo de canal e de programa. A velhice já é uma coisa complicada: porque não a imaginamos, porque não a planeamos, porque não nos preparamos, porque provavelmente teremos uma série de doenças difíceis, porque provavelmente precisaremos que cuidem de nós como se fossemos crianças, porque provavelmente perderemos capacidades e faculdades sem as quais não nos conseguimos imaginar a viver. Juntar a tudo isto a ideia de não ter dinheiro suficiente para o essencial é aterrador e é das imagens que mais me parte o coração. A ideia de uma velhice em que não podemos ter acesso ao essencial por falta de dinheiro, junta à ideia de uma velhice sozinha e sem família, deixam-me com um nó na alma que não sei explicar. Felizmente vi os meus avós terem o que precisavam e serem cuidados e amados até ao último dia de vida, mas a realidade mostra que muitas vezes acontece o contrário. Muitas, tantas vezes, o que acontece é alguém passar os últimos tempos de vida abandonado, sozinho e sem possibilidade de comprar o essencial. No caso deste senhor nem sei se ele tem ou não mais família, se tem o apoio deles ou não, mas seja como for fiquei de coração partido. Só espero, quando daqui a muitos e muitos anos os meus pais envelhecerem, poder dar-lhes todo o amor e conforto material. Só espero um dia, quando for eu a envelhecer, poder contar com todo o amor e conforto material possível. Ninguém, no mundo, deveria algum dia passar pela velhice sem amor e sem os bens materiais essenciais à vida. Caramba, logo eu que nem sou pessoa de sentimentos assim. Um dia, para além de um gabinete de assistência jurídica gratuita, crio um grupo de apoio emocional e material a idosos... assim talvez eu ganhe coragem de estar presente e apoiar e deixe de querer fugir para sofrer menos.

15
Mai19

Carpe Diem

Manga Meia-Loira

Hoje vou à Queima, ou à minha última grande festa académica como (ainda) aluna, e é a última das últimas. Segunda-feira de manhã vou às chegadas do aeroporto abraçar e agarrar o meu pai de corpo e alma e sorrisão no rosto. Viver o presente é isto, viver em modo "Carpe Diem" é isto. E nada mais importa nem pode importar. A vida já é tantas vezes tão dura, angustiante e sofrida que temos de aproveitar estas lufadas de ar fresco. Respirar fundo e permitir-nos sonhar. E nada mais importa. 

13
Mai19

Sobre (o meu) 13 de Maio de 2017

Manga Meia-Loira

Há dois anos vivi um dos dias mais bonitos e especiais da minha história e da minha vida. Há dois anos celebrei a minha festa de finalistas com as minhas pessoas e fui imensa e infinitamente feliz. Aliás, todo aquele ano letivo foi uma das fases mais felizes, bonitas, construtivas e sonhadoras da minha vida. Esteve tudo ali e nunca como naquela altura tinha sentido tanto que estava no topo do mundo e tinha os sonhos todos na mão. Foi demasiado bonito e nem consigo acreditar que já passou tanto tempo. De manhã foi a cerimónia na universidade, e foi o meu pai que me levou ao centro do palco e me deu as bengaladas, e nem poderia ter sido de outra maneira. Depois almoçamos em família, e à tarde foi a missa, que foi tão mas tão bonita! Ainda me lembro muito bem de tudo, sobretudo da mensagem de que o caminho se faz caminhando e daquela música que diz "Que vais chegar onde Deus te levar" porque

"Podes achar que não tens
P'ra onde ir, nem que fazer
Não sabes bem quem és aqui
Neste mundo, tão grande e frio
Mas há qualquer coisa em ti
Que te faz querer
Querer ser alguém
Querer ser alguém

E a vida não vai parar
Vai como o vento
Tens tudo a dar
Não percas tempo
Podes saber
Que vais chegar
Onde deus te levar

Mas pode ser tão difícil
De acreditar, em deus assim
Será que deus se vai lembrar
De me ajudar
Será que sim
Mas há qualquer coisa em mim
Que me faz querer
Acreditar"*

Nem eu sabia o quanto esta música me ia fazer sentido, mas a verdade da vida e dos sonhos está toda nela. E à noite juntamo-nos e celebramos com um jantar lindo em que tudo foi espetacular. Claro que como a finalização do curso foi (quase) um milagre e um sonho para mim, o papa estava em Portugal nesse dia, Portugal ganhou a Eurovisão da canção nesse dia, e o Benfica foi campeão nesse dia. Tudo nesse dia, no dia em que eu celebrei o fim do curso e Portugal viveu a vinda do papa, a vitória na Eurovisão e o fim do campeonato ganho pelo Benfica. Ainda me lembro de estar a meio do jantar e alguém vir a dizer "Ganhamos a Eurovisão". Foi tudo tão especial, lindo e tocante que nem tenho palavras. Há dias que tem de acontecer e não acontecem só por acaso ou só porque sim, e eu hei-de ter nascido (também) para viver aquele dia. Aquele dia em que algo nas estrelas se deve ter alinhado como só acontece, talvez, uma vez na vida. Acredito profundamente que não terá sido por acaso que tudo aconteceu naquele dia de Fátima e de Fé, e não terá sido por acaso que o meu percurso académico foi celebrado naquele momento e dia tão único e de tanta fé. Já o disse, a bricar mas já o disse, que quando casar quero outra vez o papa e quero uma vitória internacional de Portugal e quero um campeonato vencido (se der para ser o F.C.Porto a ganhar ainda melhor ehehe), não faço a coisa por menos :) Foi há dois anos mas fiquei com uma certeza para o resto da vida: há dias que tem de acontecer porque nascemos para os viver, e como aquele hei-de ter mais, assim Deus o queira e eu o possa :)

 

 

06
Mai19

Sobre (des)amor e justiça

Manga Meia-Loira

À vida não tenho muito a pedir. Ou melhor, até tenho... Tenho de pedir muito, mas assim muito, que ela seja justa. Antes de qualquer coisa justa... e sobretudo justa no amor. Que ela seja justa no (des)amor e mostre a verdade. Aconteça o que acontecer. Demore o que tiver de demorar. Só peço que um dia a justiça e a verdade ganhem. Só peço para estar aqui, viva e inteira, no dia em que isso acontecer. Demore o que demorar. É a única coisa que me ocorre, é a única coisa que me tem ocorrido e a única coisa que peço assim do fundo da alma e do coração. Que a vida (me) seja justa e me faça ver, um dia, essa justiça e essa verdade. A Deus e à vida só peço isto. 

05
Mai19

Dia da mãe

Manga Meia-Loira

O dia da mãe, para quem tem a mãe a viver noutro país, é diferente. É vazio, enevoado e com uma sombra de tristeza. É feito do desejo profundo de a ter de volta e por perto. É feito de uma esperança, que vem não sei de onde mas tem de ser conversada até ao limite do impossível, que nos diz que os próximos serão diferentes. É feito de umas saudades imensas de colo de mãe e desse sentimento tão universal. Esperança, já falei em esperança? Esperança em dias da mãe partilhados por entre amor, sorrisos e comida.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D