Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Manga Lima

Manga Lima

30
Jan20

"Sei lá" - Músicas que nos espelham a alma

Manga Meia-Loira

Tenho muito sobre o que escrever. Podia escrever sobre este janeiro, sobre as voltas inacreditáveis que a vida dá, sobre sonhos, sobre amor, sobre um conto ou dois que quero escrever, sobre a apresentação da tese que está a caminho, sobre a Ordem e a ansiedade que vai batendo à porta ao de leve, sobre o café que nunca se resolve, sobre o que ouvi numa consulta, sobre as voltas que o meu cérebro às vezes dá e sobre mais umas quantas coisas. Não tenho escrito porque há o trabalho, o estudo, o tempo que corre e as pessoas que nos ocupam - felizmente - o tempo. Mas há uns dois ou três dias que ando a bater de frente nesta música e a digeri-la e - caramba! - há mesmo músicas que nos lêem a alma e nos cantam sentimentos. Músicas que nos despem e que contam (e cantam) partes da nossa vida. Tivesse eu conhecido esta música há um ano atrás e ela seria - da primeira à última letra - o espelho exato e perfeito do meu coração e do momento que eu estava a viver. Entretanto a vida girou.. e voltou a girar. Não sei se esta música ainda me espelha o coração no presente - sei que em certa parte sim - nem sei o que a vida anda a fazer nestes giros que tem dado. Sei que "não vou a nenhum lado" e que a vida dá muitas voltas... oh se dá!

 

"Mas tu sabes lá, as guerras que eu tenho
Tu sabes lá, das canções que eu componho
Tu sabes lá, talvez nem sequer queiras saber
Mas tu sabes lá, da maneira que eu te amo
Tu sabes lá, digo a todos que é engano
Tu sabes lá, pergunto-te amanhã, mas não vais saber responder"

 

A letra completa:

Eu sei lá, em que dia da semana vamos
Sei lá, qual é a estação do ano
Sei lá, talvez nem sequer queira saber
Eu sei lá, porque dizem que estou louca
Sei lá, já não sou quem fui sou outra
Sei lá, pergunta-me amanhã talvez eu saiba responder

E eu juro, eu prometo e eu faço, e eu rezo
Mas no fim o que sobra de mim
E tu dizes coisas belas, histórias de telenovelas
Mas no fim tiras mais um pouco de mim
Então força leva mais um bocado
Que eu não vou a nenhum lado
Leva todo o bom que há em mim
Que eu não fujo, eu prometo, eu perdoo e eu esqueço
Mas no fim o que sobra de mim

Mas tu sabes lá, as guerras que eu tenho
Tu sabes lá, das canções que eu componho
Tu sabes lá, talvez nem sequer queiras saber
Mas tu sabes lá, da maneira que eu te amo
Tu sabes lá, digo a todos que é engano
Tu sabes lá, pergunto-te amanhã, mas não vais saber responder

Eu juro, eu prometo e eu faço, e eu rezo
Mas no fim o que sobra de mim
E tu dizes coisas belas, histórias de telenovelas
Mas no fim tiras mais um pouco de mim
Então força leva mais um bocado
Que eu não vou a nenhum lado
Leva todo o bom que há em mim
Que eu não fujo, eu prometo, eu perdoo e eu esqueço
Mas no fim o que sobra de mim

Sim, eu juro
Sim, eu juro

 

 

02
Jan20

Vida e karma, amor e dor

Manga Meia-Loira

Eu quis muito, assim mesmo muito, escrever este texto. Quis muito escrevê-lo durante muito tempo. Mas também achei que a vida nunca me iria permitir escrevê-lo, e que aquilo que o motiva nunca iria acontecer. Pois que a vida dá mesmo muita voltas - afinal dá mesmo - e o karma às vezes funciona. E então eu posso escrevê-lo. Ainda bem. Não poderia estar mais grata por isso. Estou ainda aparvalhada com a forma como a vida funciona e como certas coisas acontecem. Estou aparvalhada com a forma rebuscada como a vida dá voltas. Estou espantada com a forma como a vida me está a permitir ver que o karma funciona. E estou grata - muito grata - porque a vida afinal pode ser justa. Há 12 meses, naquele início de ano, eu não teria acreditado em metade de tudo aquilo que já aconteceu até hoje. E há 11 meses, há precisamente 11 meses, eu perdi todas as esperanças numa conversa que nunca queria ter tido. Nestes 11 meses não acreditei um único dia que este texto algum dia pudesse ser escrito. Não acreditei um único dia que a vida fosse justa e o karma funcionasse. 11 meses, uma conversa e dois acontecimentos depois... fico com a certeza absoluta de que a vida, afinal, é justa e o karma existe. Ainda bem que a vida dá voltas, ainda bem que a vida nos surpreende, ainda bem que nunca sabemos o que poderá acontecer. Ainda bem. Abençoada seja a vida e ainda mais abençoadas sejam as voltas que a vida dá. Agora vou só continuar aparvalhada mais um bocadinho e vou lembrar-me sempre que a vida dá (mesmo) muitas voltas. E ainda bem.

 

abencoadas-sejam-as-voltas.png

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D