Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Manga Lima

Manga Lima

20
Abr19

Músicas que (me) tocam - "Era uma vez"

Manga Meia-Loira
Hoje foi isto. Já tinha descoberto a música há algum tempo mas nunca mais tinha voltado a ela, e hoje voltei-me a lembrar de toda a beleza e toda a verdade que estes versos contém. Está cá tudo: o querer crescer e depois querer voltar ao início e aos dias da infância, a infância infinitamente feliz e colorida, os dias bonitos e deliciosos quando se era pequeno, a inocência e a ingenuidade da felicidade pura, a chegada à idade adulta, o (des)amor e desobrir o que é deixarem-nos o coração desfeito em pedaços, as dores e lágrimas do (des)amor e a certeza de que é tão mais fácil curar um (ou dois, ou três, ou dez, ou cem) joelho(s) esfolado(s), a procura da paz e, enfim, chegar à conclusão de que dá (e dá mesmo) para viver depois de descobrir que o mundo não é (ou quase nunca é) colorido, e descobrir que a maldade do mundo nunca nos deve parecer normal, e recusarmo-nos terminantemente a perder a magia de acreditar na felicidade real, e viver na certeza de que a felicidade estará sempre no caminho e não necessariamente no final... até porque o caminho se faz caminhando e a ideia é sorrir por dentro e por fora enquanto se caminha.
 
"Era uma vez,
O dia em que todo dia era bom
Delicioso gosto e o bom gosto
Das nuvens serem feitas de algodão
Dava pra ser herói
No mesmo dia em que escolhia ser vilão
E acabava tudo em lanche, um banho quente
E talvez um arranhão


Dava pra ver
A ingenuidade e a inocência cantando no tom
Milhões de mundos e universos tão reais
Quanto à nossa imaginação
Bastava um colo, um carinho
E o remédio era beijo e proteção
Tudo voltava a ser novo no outro dia
Sem muita preocupação

É que a gente quer crescer
E quando cresce, quer voltar do início
Porque um joelho ralado
Dói bem menos que um coração partido

É que a gente quer crescer
E quando cresce quer voltar do início
Porque um joelho ralado
Dói bem menos que um coração partido

 
Dá pra viver
Mesmo depois de descobrir que o mundo ficou mau
É só não permitir que a maldade do mundo
Te pareça normal
Pra não perder a magia de acreditar
Na felicidade real
E entender que ela mora no caminho
E não no final

É que a gente quer crescer
E quando cresce quer voltar do início
Porque um joelho ralado
Dói bem menos que um coração partido

É que a gente quer crescer
E quando cresce quer voltar do início
Porque um joelho ralado
Dói bem menos que um coração partido

Era uma vez..."
 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D