Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Manga Lima

Manga Lima

14
Abr19

Outra vez os barcos e os domingos

Manga Meia-Loira

Tenho um texto por escrever sobre o fim das minhas aulas e o quão bonitos e especiais foram estes meses naquele espaço mas ainda não o consegui fazer. A vida tem andado a testar-me e tem escolhido a dedo os domingos. E é a tese e as voltas e voltas e voltas da tese, e são os meus e as dores de cabeça deles e minhas, e é a viagem que o meu pai tem de marcar, e é o café e as milhentas dores de alma e de cabeça que ele significa.. e raios, eu fico assim https://mangalima.blogs.sapo.pt/para-onde-vao-os-barcos-que-construimos-35190....e assim https://mangalima.blogs.sapo.pt/barcos-de-domingo-38730 sem saber para onde vão os barcos que construímos quando estamos tristes, profundamente tristes, e a vida nos parece uma sucessão de obstáculos e testes e desafios e dores de alma e coração. Fico assim, sem saber para onde vão os barcos que construímos quando estamos tristes.. e continuo a ter de passar aquela porta branca e aquele portão verde... e mais de dois anos depois continuo a atravessar aquele espaço e as lágrimas continuam a dizer-me que aquele já não devia ser o meu (o nosso) lugar há muito, muito tempo. E o cansaço já é tanto, e a sensibilidade já é tanta (e se calhar as hormonas e os ciclos e esta coisa de se ser mulher também não ajuda muito) que pronto, qualquer coisinha ou às vezes até nada, é o suficiente para desabar. E pronto, e depois uma pessoa tem de se tentar salvar sem saber muito bem como.. e tem voltar a respirar e respirar fundo... e tem de conversar com calma e ver o que se pode fazer... e tem de ser racional... e tem de ter um raio de uma força maior que o mundo para levar com tudo e ainda assim ser racional e analisar as coisas e ver o que pode ser feito... Caramba, fico exausta. À falta de melhor, fui. Conduzi e conversei e falei e chorei e parei o carro no meio daquela estrada tão especial e tão mística entre as duas igrejas e acho que no fim da conversa fiquei um bocadinho melhor. E depois parei. E depois subi até à igreja e nunca o tinha feito, nunca tinha subido a pé, e lá fui respirando. Há dias assim... hoje parei o carro entre as duas igrejas e tive a conversa possível e chegamos às soluções possíveis, e nunca o tinha feito. E caramba, estava tudo tão difícil e tão doloroso... e caramba, é tanta coisa e tantos novelos e tantos fogos para apagar e tantos assuntos urgentes a resolver. Hoje subi a pé até à igreja e nunca o tinha feito. Hoje o mundo acabou e recomeçou algumas vezes e nem as minhas lágrimas eram suficientes para exprimir o cansaço, o desgaste, o desânimo, o desalento.... a vontade imensa e profunda de que tudo seja diferente. Há-de ser. Eu gosto de barcos mas, caramba!, já chega de não saber para onde vão os barcos que construímos quando estamos tristes... já chega de passar a porta branca e o portão verde... é tempo de mudar tudo. 

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D