Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Manga Lima

Manga Lima

18
Abr19

Quando nos despedimos a dizer "Fui tão feliz!"

Manga Meia-Loira

A semana passada despedi-me do sítio onde tive aulas da Ordem. Podia escolher entre duas cidades para ter aulas, e demorei muito a escolher. Precisei de pedir opinião ao meu pai e de pensar e repensar, e no fim lá escolhi Guimarães. Guimarães não era minha, não me pertencia e não tinha grande significado para mim. A outra cidade muito menos. Entre uma e outra escolhi Guimarães porque era o sítio mais perto, embora não gostasse do horário, e quanto mais perto de casa mais felizes seremos... e quanto mais pequeno for o ambiente mais felizes seremos (um obrigada ao meu pai, que me diz isto desde os 10 anos e cada vez me faz mais sentido). Escolhi Guimarães mas estive sempre apreensiva com esta coisa das aulas. Nós já estagiamos todos os dias, o trabalho já não é propriamente fácil, e ainda íamos ter aulas.... aulas todos os dias, três horas por dia, desde o ínicio do ano até agora. Não pensei muito, mas torci o nariz desde o início. Para juntar à festa, eu estou também a escrever a tese de mestrado. E isto tinha, portanto, tudo para correr mal... ou pelo menos para ser uma coisa chata e não trazer nada de bom.. mas não. Muito pelo contrário, Guimarães foi assim uma espécie de nuvem colorida e doce durante estes últimos meses. Levei logo com uma surpresa daquelas que nos fazem sorrir por dentro e por fora quando percebi que, afinal, estava a voltar a ser feliz sentada numa sala de aulas... e isso era tudo o que eu mais precisava sem o saber, depois daquele ano horrível de mestrado. E continuei a ter motivos para sorrir muito quando percebi que os professores e os funcionários nos tratavam com o maior cuidado e carinho do mundo. Tenho de lhes tirar o chapéu e dizer que foram todos, especialmente os funcionários, inexcedíveis. Cederam números de telefone, perguntaram-nos todos os dias à chegada e à saída se estava tudo bem, preocuparam-se sempre com o que se ia passando, estavam atentos a tudo, disponibilizaram-se desde o primeiro momento a ajudar em tudo o que fizesse falta, sobretudo sabendo que muitos de nós éramos de fora... e por isso sim, a Delegação de Guimarães da Ordem dos Advogados merece um enorme aplauso. Fizeram por nós tudo o que lhes foi possível, ao contrário daquilo a que estamos habituados no que diz respeito à Ordem dos Advogados. De uma Ordem que não nos esclarece as dúvidas, que demora a responder, que falha, que faz muita coisa e falha tanto na defesa dos seus (que devia ser a sua missão), que muitas das vezes parece que anda à espera das nossa falhas para nos dificultar a vida, que recebe o nosso dinheiro e parece querer sempre pregar-nos rasteiras.... vimos uma Delegação que foi exatamente o contrário de tudo isto, uma Delegação que esteve do nosso lado e nos acompanhou em tudo com disponibilidade e com cuidado, que se preocupou e esteve presente desde o primeiro momento para nos ajudar em tudo, e que foi tudo o que a Ordem deveria ser (e quase nunca é). Mas não foi só isto. Guimarães foi também o sítio onde a minha vida começou a mudar: foi o sítio onde decidimos fazer uma venda que será o início da mudança das nossa vidas... e eu fiquei tão feliz! Foi lá, por entre aqueles corredores e aquelas ruas, que eu corri, e telefonei, e perguntei, e disse que sim. E fui tão feliz! Esta venda feliz será sempre associada àqueles corredores. Guimarães foi a S. e foi varrer quilómetros de auto-estrada todos os dias. Guimarães foi a S., foi as conversas intermináveis sobre o trabalho, a vida e o futuro com a Sofs, foram os sorrisos e as brincadeiras com a S. Foram os lanches sempre à pressa e engolidos à pressão, e o tempo sempre contado ao segundo. Foram os casos mais giros de sempre de Processo Penal. Foi o professor mais espetacular de sempre a dar Processo Penal. Guimarães foi também o período em que tive uma conversa difícil sobre (des)amor, do mais díficil que pode haver e daquelas que se tem uma vez na vida... e Guimarães salvou-me, naqueles que foram dias que nunca quis viver na vida. E por isso sim, quando na semana passada saí pela porta... a única coisa que me ocorria dizer era "Fui tão feliz!". Guimarães foi voltar a ser feliz numa sala de aulas, Guimarães foi a venda e o princípio da mudança que mais quero na vida, Guimarães foram os momentos bonitos com a S., Guimarães foram as aulas mais espetaculares de sempre de Processo Penal, Guimarães foi o cuidado e o carinho da Delgação, Guimarães foi sobreviver e (continuar a) sorrir por entre a conversa que nunca queria ter tido. Guimarães foi tudo isto e foi muito mais. Foi, muitas vezes, recordar-me de quem sou e do valor que tenho. Foi (re)descobrir a felicidade numa sala de aulas. Foi muitas das vezes (re)acreditar neste caminho que estou a traçar na Ordem. Foi, muito mais do que tudo isto, um pedaço do dia e da vida que me fazia sorrir. E isso não tem preço. Ainda vamos lá voltar para as aulas facultativas, mas a despedida foi a semana passada. E eu estou infinitamente grata a Guimarães por tudo isto e por me ter, muitas vezes, colorido os dias. Agora sim, Guimarães tem um pedaço de mim. E eu tenho Guimarães guardado numa parte bonita do coração e da memória. Guimarães agora também é minha... e está naquele sítio bonito onde guardamos os sítios que nos pertencem e de que gostamos. Voltarei e prometo um dia explicar ao(s) filho(s) que tiver que a mãe teve aulas da Ordem em Guimarães...e foi muito feliz lá.

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D