Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Manga Lima

Manga Lima

02
Dez19

Missão exterminadora de pêlos - 2019

Manga Meia-Loira

Corria o sagrado ano de 2017 quando a minha pessoa, logo em fevereiro, se encheu de inspiração e coragem e se entregou à Clínica do Pêlo para fazer depilação definitiva nas pernas e virilhas. Assim sem pensar muito e de uma assentada. Já não agentava mais a cera e a sensação de pele a ser arrancada, já não aguentava mais ter de esperar que o pêlo crescesse, já não aguentava mais a marquesa da cabeleireira. Eu suportava aquilo, e a verdade é que ao fim de algum tempo uma pessoa habitua-se, mas fazer laser era quase um sonho.

 

Acho que demorei até aos 22 anos porque tinha medo e porque queria um sítio de confiança. Tinha medo, antes de qualquer coisa, de queimar a pele ou ficar com danos ou marcas. Tinha também medo de andar a pagar quantias consideráveis por métodos que não eliminassem verdadeiramente o pelo ou não fossem propriamente "laser".

 

Custou mas, como dizia eu, cheguei a 2017 decididíssima e cumpri com as sessões. Fiz umas seis sessões até àquele verão e posso dizer que notei resultados e melhorei consideravelmente. No verão parei porque não convinha a pele estar morena nem convinha apanhar sol. Depois do verão, acho que não voltei à Clínica do Pêlo.

 

A verdade é que eu devia ter feito mais uma ou outra sessão, e que ainda tinha/tenho pelos nas pernas e nas virilhas que sou obrigada a tirar de gilete. A verdade também é que eu detesto gilettes, sempre detestei e acho horrível, e quase tenho de pedir desculpa a mim própria antes de usar uma nas pernas ou nas virilhas. Aliás, sempre me recusei a usar gilete antes de chegar ao laser. Depois de se fazer laser, só se pode mesmo usar gilete ou creme depilatório, as ceras estão proibidas porque mexem com a raiz do pêlo.

 

Bem, dizia eu que depois daquele verão deixei-me ficar a pastelar e não voltei à Clínica. Passou-se o inverno de 2017 e eu fiquei a pastelar e a esgotar-me em pensamentos e dias pouco felizes. Passou-se o ano de 2018, e as minhas energias e o meu coração acabaram por se esgotar em caminhos duros, sombrios e angustiantes... e a última coisa de que me lembrei foi de depilações. Passou-se o início de 2019 e as aulas e o estágio esgotaram-me o tempo... e a última coisa de que me lembrei foi de depilações.

 

Até que depois deste verão eu prometi a mim própria que ia voltar. Era o sol ir embora e chegar a altura certa. E pronto. Foi assim que a minha pessoa voltou a pôr os pés (e as pernas e virilhas) na Clínica do Pêlo, e voltou a entrar lá cheia de coragem e insipiração. E foi assim que a minha pessoa voltou à "Missão exterminadora de pêlos - 2017", desta vez "Missão exterminadora de pêlo - 2019".

 

Li bastante antes de escolher o sítio e fiquei bastante satisfeita com a escolha da Clínica do Pêlo (senhores da Clínica do Pêlo: se me lerem, sintam-se à vontade para me oferecerem a próxima sessão ou então as que eu quiser fazer). Percebi, antes de escolher, que a melhor opção era o laser alexandrite, ou pelo menos era a que garantia melhores resultados, ao contrário da luz pulsada e de outros métodos. A partir daí, e porque na minha cidade também não havia grandes escolha, pensei em dois sítios: um sítio que existe só na cidade e que me pareceu bom, e a Clínica do Pêlo. Quando percebi que o primeiro sítio ficava numa zona da cidade que não me agradou e num sítio estranho que nunca cheguei a encontrar... escolhi de imediato a Clínica do Pêlo.

 

Tenho a dizer que gostei muito e que, até ver, correu sempre tudo muito bem. Para começar, não me queimaram a pele nem me deixaram danos na pele - que era essencialmente o que eu queria (ahahah). Para acrescentar, também não me enganaram nem prometeram o impossível: avisaram-me logo que a meia perna e a virilha costumam apresentar bons resultados, mas que na pele das coxas não podiam garantir grandes resultados porque é uma zona hormonal. Depois, fizeram uma consulta prévia onde me explicaram tudo, registaram o meu historial médico e as medicações que tomava, e fizeram um teste à pele para ver se havia alguma reação adversa antes do tratamento. Mesmo agora, que eu marquei uma sessão tanto tempo depois, eles surpreenderam-me e ligaram-me a pedir para fazer um teste à pele antes da sessão. Só pontos a favor e correu muito bem. Depois, também ajuda o facto de as senhoras serem simpáticas. A única coisinha que me chateia é que eles levam as zonas que estão definidas na tabela de preços à letra, e qualquer pedacinho de pele que se queira incluir tem de ser pago à parte... mas pronto, uma pessoa sabe que os equipamentos são caros e tudo tem de ser pago, e pronto, entende-se. Em suma, recomendo. É verdade que nunca fiz noutro sítio e também não tinha muitas opções, mas tem sido uma boa experiência. 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D